“Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado” (Romanos 7:22-25).  


Um crente deve ser conhecido, não só pela sua paz e alegria, mas por sua luta e angústia. Sua paz é peculiar: ela flui de Cristo, é uma paz santa e celestial. Sua guerra é também peculiar: é profunda, agonizante e não cessa até à morte. Se o Senhor quiser, muitos de nós têm a perspectiva de sentar à mesa do Senhor, no próximo Sabath. A grande pergunta a ser respondida antes de sentar-se é: eu já me refugiei em Cristo ou não? 

Isto é algo que eu anseio saber, Frequentemente isso faz meu pensamento ficar ansioso, Eu amo o Senhor ou não? Eu sou Seu, ou não sou? 
Para ajudá-lo a resolver essa questão, eu escolhi o tema da guerra do cristão, para que você saiba assim se você é um soldado de Cristo, se você está realmente está combatendo o bom combate da fé.  

I. Um crente tem prazer na lei de Deus. O versículo 22: “segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus”. 

1. Antes de um homem vir a Cristo, ele odeia a lei de Deus, toda a sua alma se levanta contra ela, Romanos 8:7: “Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser” [Romanos 8:7]. (1.) Homens não-convertidos odeiam a lei de Deus por causa da sua pureza: “A tua palavra é muito pura; portanto, o teu servo a ama” [Salmos 119:140]. Pela mesma razão, os homens do mundo a odeiam. A lei é o sopro da mente pura e santa de Deus. É infinitamente contrária a toda impureza e pecado. Cada linha da lei é contra o pecado, mas os homens naturais amam o pecado e, portanto, eles odeiam a lei, porque ela se oponha a eles em tudo o que eles amam. Como os morcegos odeiam a luz, e fogem dela, assim os homens não- convertidos odeiam a luz pura da lei de Deus, e fogem dela. (2.) Eles odeiam por sua amplitude. “O teu mandamento é amplíssimo” [Salmos 119:96]. Esta se estende a todas as suas ações exteriores, visíveis e invisíveis; estende-se a toda palavra frívola que proferirem os homens; ela se estende até os olhares de seus olhos; ele mergulha nas cavernas mais profundas do seu coração; condena as fontes mais secretas do pecado e luxúria que ali se aninham. Homens não-convertidos contendem com a lei de Deus por causa de seu rigor. Se ela se restringisse aos meus atos exteriores, então eu poderia tolerá-la; mas ela condena os meus pensamentos e desejos, e isto eu não posso evitar. Por isso os ímpios se levantam contra a lei. (3.) Eles a odeiam por sua perpetuidade. O céu e a terra passarão, mas nem um jota ou um til da lei de modo algum passará. Se a lei mudasse, ou deixasse de lado suas exigências, ou findasse, então os homens ímpios ficariam satisfeitos. Porém ela é imutável como Deus, está escrita no coração de Deus, em quem não há mudança nem sombra de variação. Ela não pode mudar a menos que Deus mude; ela não pode perecer, a menos que Deus pereça. Mesmo em um inferno eterno suas demandas e suas maldições serão as mesmas. É uma lei imutável, pois Ele é um Deus imutável. Por isso os ímpios têm um ódio imutável por esta santa lei. 

2. Quando um homem vem a Cristo, tudo isso é mudado. Ele pode dizer: “Segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus”. Ele pode dizer com Davi: “Oh! Quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia” [Salmos 119:97]. Ele pode dizer com Jesus, no Salmo 40: “Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração”. 

Há duas razões para isso: 
Primeira, a lei não é mais uma inimiga. Se alguns de vocês estão tremendo sob um senso de seus pecados infinitos e pelas maldições da lei que vocês quebraram, fujam para Cristo e encontrareis descanso. Vocês descobrirão que Ele atendeu totalmente às exigências da lei como uma garantia para os pecadores, que Ele suportou completamente todas as suas maldições. Vocês serão capazes de dizer: “Cristo me resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por mim; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro” [Gálatas 3:13]; Vocês não têm mais que temer por esta lei tremendamente santa, não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça. Vocês não têm que temer mais a lei agora do que terão após o Dia do Julgamento. Imaginem uma alma salva após o Dia do Julgamento, quando aquela terrível cena for passada, quando os mortos, grandes e pequenos, têm estado diante do grande trono branco; quando a sentença de desgraça eterna tiver caído sobre todos os não-convertidos, e eles afundaram no lago cujas chamas nunca são podem ser saciadas; essa alma redimida não diria: “não tenho nada a temer por causa desta santa lei; tenho visto suas taças derramadas, mas nem uma gota caiu sobre mim”. Assim você pode dizer agora, oh crente em Jesus. Quando você olhar para a alma de Cristo, marcada com raios de Deus; quando você olhar para o seu corpo, traspassado pelo pecado, você pode dizer: Ele foi feito maldição por mim; por que eu deveria temer esta lei santa? 

Segunda, o Espírito de Deus escreve a lei sobre o coração. Esta é a promessa de Jeremias 31:33: “Depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo” [Jeremias 31:33]. Vir a Cristo tira o seu medo da lei, mas é o Espírito Santo vindo ao seu coração que faz com que você ame a lei. O Espírito Santo não é mais indesejado e resistido neste o coração; ele vem o suaviza; ele tira o coração de pedra e coloca um coração de carne; e lá ele escreve a santa, santa, santa lei de Deus. Em seguida, a lei de Deus se torna doce para a alma; ela se deleita nela segundo seu homem interior. “A lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom” [Romanos 7:12]. Agora ela sinceramente deseja que cada pensamento, palavra e ação esteja de acordo com essa lei. “Quem dera que os meus caminhos fossem dirigidos a observar os teus mandamentos. Muita paz tem os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço” [Salmos 119:6, 165]. O Salmo 119 se torna a respiração desse novo coração. Agora ele também deseja ver o mundo inteiro submetendo-se a esta lei pura e santa. “Rios de águas correm dos meus olhos, porque não guardam a tua lei” [Salmos 119:136]. Oh! Que todo o mundo apenas soubesse que a santidade e a felicidade são um! Oh! Que todo o mundo fosse uma santa família, alegremente submetendo-se às puras regras do Evangelho! Examine a si mesmo por isso. Você pode dizer: “tenho prazer na lei de Deus...”. Você se lembra quando você odiava a lei de Deus? Você a ama agora? Você anela pelo dia em que viverá plenamente sob ela, santo como Deus é santo, puro como Cristo é puro? 

Oh! Vinde, pecadores, e entreguem seus corações a Cristo, para que Ele possa escrever sobre eles a Sua santa lei! Você já esteve por tempo suficiente a lei do Diabo gravada em seu coração; venha você a Jesus, e Ele tanto te abrigará das maldições da lei quanto lhe dará o Espírito para escrever toda a lei em seu coração; Ele fará com que você a ame do fundo de sua alma. Pleiteia a promessa com Ele. Certamente você já experimentou os prazeres do pecado por muito tempo, venha então, e experimente os prazeres da santidade de um novo coração. 

Se você morrer com o seu coração como ele está agora ele será marcado como um coração mau por toda a eternidade. “Quem é injusto, seja injusto ainda; e quem é sujo, seja sujo ainda” (Apocalipse 22:11). Oh! Venha e receba o novo coração antes de morrer, pois se você não nascer de novo não poderá ver o reino de Deus!  

II. Um verdadeiro crente sente uma lei opondo-se em seus membros. Versículo 23: “vejo nos meus membros outra lei...”. Quando um pecador vem inicialmente a Cristo, muitas vezes ele pensa que agora dará um adeus eterno ao pecado: “agora eu nunca mais pecarei”. Ele já se sente na porta do céu. Mas um pequeno vento de tentação logo desvela o seu coração, e ele clama: “vejo nos meus membros outra lei”. 

1. Observe o que ele chama: “outra lei”; uma lei inteiramente diferente da lei de Deus, uma lei claramente contrária a ela. No versículo 25 ele chama de a “lei do pecado”, uma lei que o ordena a cometer o pecado, que lhe pressiona com recompensas e ameaças, Romanos 8:2: “A lei do pecado e da morte”, uma lei que não só leva ao pecado, mas leva à morte, morte eterna: “O salário do pecado é a morte” [Romanos 6:23]. É a mesma lei que em Gálatas é chamada de “a carne”. Gálatas 5:17: “A carne cobiça contra o Espírito”, e etc. É o mesmo que em Efésios 4:22 é chamada de “velho homem”, que se corrompe pelas concupiscências do engano. A mesma lei que, em Colossenses 3:5, é chamada de “vossos membros”, “Mortificai, pois, os vossos membros...”. O mesmo que é chamado no versículo 24 de: “um corpo de morte”. A verdade então é que no coração do crente ainda permanece inteiramente os membros e o corpo de um velho homem, ou velha natureza; ali permanece a fonte de todos os pecados que têm contaminado o mundo. 

2. Observe novamente o que sua lei está fazendo: “que batalha contra”. Esta lei nos membros não está descansando tranquila, mas em guerra, sempre batalhando. Nunca pode haver paz no peito de um crente. Há paz com Deus, mas constante batalha contra o pecado. Esta lei nos membros tem um exército de concupiscências ao seu comando, e ela ordena constante guerra contra a lei de Deus. Às vezes, de fato, um exército está deitado em emboscada, e eles ficam em silêncio até que o momento favorável venha. Assim, no coração os desejos frequentemente permanecem tranquilos até a hora da tentação, e então eles combatem contra a alma. O coração é como um vulcão, às vezes ele dorme e não produz nada mais do que um pouco de fumaça, mas o tempo todo o fogo está dormindo em baixo, e em breve vem à tona. Existem dois grandes combatentes na alma do crente. Há Satanás de um lado com a carne e todas as concupiscências em seu comando; e por outro lado, há o Espírito Santo com a nova criatura completamente ao seu comando. E assim, “a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis” [Gálatas 5:17]. 

Satanás alguma vez é bem-sucedido? Na profunda sabedoria de Deus a lei dos membros, por vezes, leva a alma em cativeiro. Noé era um homem perfeito, e andava com Deus, e ainda assim ele foi levado cativo. Noé “bebeu do vinho, e embebedou-se” [Gênesis 9:21]. Abraão era “o amigo de Deus”, e ainda assim ele mentiu dizendo de Sara, sua mulher: “Ela é minha irmã”. Jó era um homem perfeito, temente a Deus e odiava o mal, e mesmo assim ele foi provocado a amaldiçoar o dia em que ele nasceu. E assim com Moisés, Davi, Salomão e Ezequias, e Pedro e os Apóstolos. 

1. Você já experimentou essa batalha? É uma marca clara de filhos de Deus. A maioria de vocês, eu temo, nunca sentiu isso. Não me entendam mal, todos vocês já sentiram batalhas, por vezes, entre a sua consciência natural e à lei de Deus, mas essa não é a contenda no peito do crente. É uma guerra entre o Espírito de Deus no coração e o revestimento exterior do velho homem com os seus feitos. 
2. Se algum de vocês está gemendo sob esta batalha, aprenda a ser humilhado por isso, mas não desanimado. 

(1.) Seja humilhado sob ele. A intenção é fazer com que você vá ao pó e não se sinta nada mais do que um verme. Oh! Que vil desgraçado você deve ser, que, mesmo depois de estar perdoado e ter recebido o Espírito Santo, seu coração ainda é uma fonte de toda maldade! Quão vil em suas aproximações mais solenes a Deus – na casa de Deus – em situações terrivelmente comoventes, assim como ajoelhado ao lado do leito de morte, você deve ainda ter em seu peito todos os membros da sua velha natureza. Permita que isto o humilhe. 

(2.) Que isto lhe ensine a sua necessidade de Jesus. Você precisa do sangue de Jesus, tanto quanto no princípio. Você nunca pode estar diante de Deus em Si mesmo. Você tem que ir de novo e de novo para ser lavado; mesmo em seu leito de morte você tem que se esconder sob o Senhor, nossa justiça. Você também deve apoiar-se em Jesus. Somente Ele pode dominar em você. Aproxime-se cada vez mais todos os dias. 

(3.) Não desanime. Jesus está disposto a ser um Salvador para você assim como Ele é capaz de salvá-lo até ao fim. Você acha que seu caso é muito ruim para Cristo o salvar? Todos aqueles que Cristo salvou possuíam um coração como o seu. Combata o bom combate da fé; tome posse da vida eterna, tome para si a resolução de Edwards: “nunca desistir nem abrandar minimamente, a minha luta contra as minhas corrupções, embora enfrente eventuais insucessos”, “a quem vencer, eu o farei coluna” [Apocalipse 3:12].  

III. Os sentimentos de um crente durante esta batalha. 

1. Ele se sente miserável. Versículo 24, “Miserável homem que eu sou! ” Não há ninguém neste mundo tão feliz como um crente. Ele veio a Jesus e encontrou descanso. Ele tem o perdão de todos os seus pecados em Cristo. Ele tem aproximação íntima de Deus como um filho. Ele tem o Espírito Santo habitando nele. Ele tem a esperança da glória. Nos tem- pos mais terríveis que pode estar calmo, pois ele sente que Deus está com ele. Ainda assim, há momentos em que ele clama: “Miserável homem que eu sou! ” Quando ele sente a chaga do seu coração, quando ele sente o espinho na carne, quando o seu coração perverso é descoberto em toda a sua temerosa malignidade. Ah, então ele se se humilha clamando: “miserável homem que eu sou! ” Um dos motivos disto é que o pecado descoberto no coração tira o sentimento do perdão. A culpa vem sobre a consciência e uma nuvem escura cobre a alma. “Como posso voltar para Cristo? ” Ele suspira, “ai de mim! Pequei contra o meu Salvador”. Outra razão é a repugnância do pecado. Ele considera a si mesmo como uma víbora no coração. Um homem natural é muitas vezes miserável do seu pecado, mas ele nunca sente a sua repugnância; mas para a nova criatura isto é vil, de fato. Ah! Irmãos, vocês conhecem alguma coisa sobre a miséria de um crente? Se vocês não conhecem, vocês nunca conhecerão a sua alegria. Se vocês não conhecem as lágrimas e gemidos de um crente, vocês nunca conhecerão o seu cântico de vitória. 
 
2. Ele busca a libertação. “Quem me livrará? ” Nos tempos antigos, alguns dos tiranos utilizavam um corpo morto como cadeia para seus prisioneiros, de modo que, onde quer que o prisioneiro fosse, ele teria que arrastar uma carcaça podre com ele. Acredita-se que Paulo aqui faz alusão a esta prática desumana. Seu velho homem ao qual ele via como uma carcaça podre e fétida, ao qual ele estava constantemente arrastando com ele. Seu profundo desejo é ser libertado dela. Quem nos livrará? Você se lembra de uma vez, quando Deus permitiu que um espinho na carne atormentasse o seu servo, um mensageiro de Satanás lhe esbofeteasse, Paulo foi levado de joelhos: “Três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim” [2 Coríntios 12:8]. Oh! Esta é a verdadeira marca dos filhos de Deus! O mundo tem uma velha natureza; ele todos são velhos homens, mas isso não os leva aos seus joelhos. Como é com vocês, queridas almas? Será que o senso de vossa corrupção interior as leva ao trono da graça? Isso vos faz invocar o nome do Senhor? Vocês fazem como a viúva importuna, “Faze-me justiça contra o meu adversário”? Isso faz de vocês como o homem, vindo à meia-noite para pedir três pães? Faz de vocês como a mulher Cananéia clamando ao seguir após Jesus? Ah, lembrem- se, se a luxúria pode trabalhar em vosso coração e vocês quedam contentes com isso, vocês não são de Cristo! 

3. Ele dá graças pela vitória. Verdadeiramente, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou; pois podemos dar graças antes que batalha esteja concluída. Sim, mesmo no ápice da batalha, podemos olhar para Jesus, e clamar: graças a Deus. No momento em que uma alma gemendo por causa da corrupção descansa os olhos em Jesus, naquele mesmo momento os gemidos são transformados em canções de louvor. Em Jesus você descobre uma fonte para lavar a culpa de todo o seu pecado. Em Jesus você descobre graça que te basta, graça para preservá-lo até o fim, e uma promessa certa de que o pecado deve em breve ser erradicado completamente. “Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu” [Isaías 43:1]. Ah, isso transforma nossos gemidos em cânticos de louvor! Quantas vezes um salmo começa com gemidos e termina com louvores! Esta é a experiência diária de todo o povo do Senhor. É a sua? Examine-se por isso. Oh! Se você não conhece as canções de louvor dos crentes, você nunca lançará sua coroa juntamente com eles aos pés de Jesus! Queridos crentes, contentem-se em gloriarem-se em vossas fraquezas, para que o poder de Cristo habite em vós.  


Glória, glória, glória ao Cordeiro!

_________________________________
Sermão: Um Crente tem Prazer na Lei de Deus - Robert Murray M'Cheyne 

0 comentários:

Postar um comentário

           
EU SOU CALVINISTA: PREGANDO E ENSINANDO A PALAVRA DO NOSSO SENHOR JESUS!!